fbpx
(5511) 2503-9620 [email protected]

Me apossei da palavra poema para usá-la em forma de verbo, já que eu ando poemando. Como eu já disse, “eu nem sabia que era poesia o que eu fazia”. São frases amontoadas umas sobre as outras, sem preocupação com formas, padrões e métricas. Vem de dentro, tenho que compartilhar.

É pouco criativo, mas é verdade. Estou proseando, contando casos, relembrando memórias e criando estórias. Particularmente, gosto mais do que poesia, sinto que alcanço níveis elevados de sensibilidade, capazes de proporcionar identificação e emoção muito genuínas e verdadeiras.

É uma homenagem pessoal. Essa pequena noveleta italiana de 6 capítulos é um tributo aos meus pais, irmãs, tios e primos, e a todos os imigrantes, de todos os países, que embarcaram na romântica aventura de “Descobrir a América”, e deram de cara com a surpreendente realidade brasileira.

Anacleto e a Terapeuta

Anacleto não era uma criança normal, todos já haviam percebido. Seus interesses eram, digamos, sutilmente tortos e arriscados. Os pais que já são naturalmente preocupados…

Anacleto e a Coxinha

Anacleto crescia… melhor dizendo avançava no tempo ocupando o mínimo espaço. Os pais procuravam oferecer todo tipo de alimento, dos mais doces aos mais salgados…

Anacleto

Ele era suicida, mas completamente incompetente. Entre as inúmeras tentativas, uma mereceu até uma nota no jornal do bairro. Foi quando tomou 32…

Escrita nas Estrelas

Ela veio de de Poá, desembarcando em São Paulo em plenos anos 70. Nasceu em um 3 de setembro clamando pela primavera próxima, com os chimarrões mais mornos estalando no céu da boca.

Anjos

Todo mundo tem um anjo. Até os que não acreditam! O problema é que ninguém os vê. Quer dizer, ninguém não, isso seria muita pretensão. Alguns poucos sabem sim da existência deles…

Sofrêncio

Ele nasceu José Alguma Coisa e, como toda criança que nasce, cheio de potencial para viver a plenitude da vida. No entanto, por uma série de circunstâncias ou escolha, tomou o caminho da dor e do sofrimento.

Mamma

Eu não lembro bem a música, tenho a impressão que era de um tipo meio brega, bem sentimental, feita para exaltar qualidades daquelas que são unanimidade no coração de todos, as Mães.

Pascoal

Naquele fim de tarde de sexta-feira da paixão, quando minha mãe foi me buscar no colégio Dom Bosco, me encontrou de mãos dadas com aquele padre jovem e simpático.

Mazé na Disney

Os olhos do neto Pedrinho brilhavam de alegria diante daquela pessoa vestida de Mickey, com as calças vermelhas e dois grandes botões brancos, camisa branca, gravata amarela e fraque preto. As enormes orelhas e um sorriso permanente no rosto faziam desse personagem…

Guto, o coala feliz!

No princípio os quatro elementos viviam isolados, terra, água, fogo e ar ocupavam cada um seu quadrado. Bilhões de milhões de anos eles assim viveram, cada um consigo mesmo ocupado, numa monotonia sem fim. Até que o criador de todas as coisas achou…

Flores da Sé

A temperatura estava amena, entre 22 e 24 graus centígrados, com poucas nuvens no céu. A Praça da Sé estava absolutamente limpa e cheirosa, com aroma de maçã, pêssegos, jabuticabas e tantas outras frutas que lotavam os galhos das árvores ali plantadas.

Arnica e Babosa

Era uma dupla tão improvável quanto Sancho Pança e Dom Quixote ou, mais precisamente, Laurel & Hardy, já que o business era cinema e um era gordo e o outro era magro. Tinham cruzado seus caminhos desde tempos imemoriais e criado uma simbiose perfeita desde sempre.